"Ingênuo era eu, que recebia marteladas e procurava melodia nas batidas".




Sean Wilhelm
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!