Ando muito completo de vazios.


Meu órgão de morrer me predomia.


Estou sem eternidades.




Manoel de Barros
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!