Eu podia ter-te amado com outras palavras, 
com outro timbre de cristal. 
Mas ocultei a ternura nos bosques que se 
fecham sobre o coração. 

Morei no silêncio; apaguei as claras fontes 
de uma torturada voz. 
E o brilho da faca,
o seu metal de esplendoroso alcance,
encontrou o pulso e moveu-se, 
docemente




José Agostinho Baptista
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!