Precisava falar-te ao ouvido
De manter sobre a rodilha do silêncio
A escrita.
Precisava dos teus joelhos. Da tua porta aberta.
Da indigência. 
E da fadiga.
Da tua sombra sobre a minha sombra
E da tua casa
E do chão.





Daniel Faria
Postar um comentário

Postagens mais visitadas