Levanto a custo os olhos da página; 
ardem;
 ardem cegos de tanta neve.

Faz dó esta paixão pelo silêncio, pelo sussurro do silêncio,

pelo ardor do silêncio que só os dedos adivinham.

Cegos, também.






Eugénio de Andrade
Postar um comentário

Postagens mais visitadas