pus a mão na boca para
amordaçar a dor, mas
era tão mais forte que
mesmo a mão gritou. 



Bénédicte Houart

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!