Porque o tempo é invisível perdi

o poder de te nomear



se algum dia voltares não vais reconhecer

o grau zero das nossas despedidas:



conhecer por antecipação o cenário

silencioso onde alguém fala palavras

que não ouves



tens em ti a rigidez dos gestos parados

entre os silêncios







[Maria Sousa]

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!