És uma lonjura sem nome, um lírio numa sebe de cactos...



  Ana Marques Gastão
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!