...diz ele -, ao contrário do que tu supões, a alma é exterior: envolve e impregna o corpo com um fluido envolve a matéria. 
Em certos homens a alma chega a ser visível, a atmosfera que os rodeia toma cor. 
Há seres cuja alma é uma contínua exalação. 
Há-os cuja alma é duma sensibilidade extrema: sentem em si todo o universo. 
Daí também simpatias e antipatias súbitas quando duas almas se tocam, mesmo antes de a matéria comunicar.
 O amor não é senão a impregnação desses fluidos, formando uma só alma, como o ódio é a repulsão dessa névoa sensível.




Raul Brandão
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!