Mastigo o pó de todos os cravos que me deste,
quero-os sempre vermelhos ao rés da boca.




Rosa Alice Branco
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!