domingo, 26 de julho de 2015


Assovia o vento dentro de mim.
Estou despido. 
Dono de nada, dono de ninguém, nem mesmo dono de minhas certezas, sou minha cara contra o vento, a contravento, e sou o vento que bate em minha cara.



EDUARDO GALEANO
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...