Não quero o amor bonito.
 Não quero a meia luz, não quero a cara bem feita, não quero o expressivo. 
Quero o inexpressivo. 
Quero o inumano dentro da pessoa; não, não é perigoso, pois de qualquer modo a pessoa é humana, não é preciso lutar por isso: querer ser humano me soa bonito demais.


Clarice Lispector
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!