Silêncio é uma palavra impossível.
Não corresponde a nenhuma realidade.
Não há silêncio no cosmos 
nem em cada um de nós.
Numa sala sem eco, 
entre sete paredes de cimento isolante,
ouve-se ecoar a circulação
do nosso próprio sangue.

- António Barahona
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!