Quanto a mim, sinto de vez em quando que sou a personagem de alguém. 
É incômodo ser dois: eu para mim e eu para os outros.



Caio Fernando Abreu.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!