"Os únicos presentes do mar são golpes duros… e às vezes a chance de sentir-se forte. 
Eu não sei muito sobre o mar, mas sei que as coisas são assim por aqui. 
E também sei como é importante na vida não necessariamente ser forte, mas sentir-se forte, confrontar-se ao menos uma vez, achar-se ao menos uma vez na mais antiga condição humana: enfrentar a pedra surda e cega a sós, sem ajuda além das próprias mãos e da mente"



Alexander Supertramp
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!