Entardece devagar....


Entardece devagar. 
É a hora metafísica do silêncio, de a razão não ter razão. 
É a hora de a arrogância das convicções fazer menos barulho, de o mistério aparecer. 
(...) Entardece, a noite vem aí. 
Da derrocada universal, o mistério como um fumo que se levanta. 
Olha, escuta. 
É a hora da verdade de seres, que é a única verdade. 
A noite vem aí. 
Vem devagar como uma suspeita oblíqua. 
E de tudo o que falhou e morreu, uma mão leve que desça sobre ti com a paz do adormecer.



Vergílio Ferreira
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!