Nenhum rosto
nos pode consolar
do que é inventado

não 
não amamos como as flores
totalmente simples

O desejo
violenta
tudo
fere
o ermo íntimo do nosso coração




Ana Hatherly
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!