assim, 
hoje ao acordar fiquei aterrado ao ver que de noite me rolara para o meio da cama. 
deitei-me como sempre do meu lado, para deixar livre o teu no caso de resolveres voltar e te deitares nele. mas o sono levou-me para o sítio que é o bom e fica à minha esquerda. 
porque é que eu me passei para o meio da cama? 
e só acho uma como resposta o teres morrido para sempre. 
e fiquei horrorizado da minha libertação. não vás ainda. volta de novo. 
vou deitar-me outra vez no meu lugar e deixar o teu à espera. 
vem de noite sem eu dar conta e acordar contigo ainda no teu sono e tocar-te e seres tu.



Vergílio Ferreira
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!