sábado, 28 de junho de 2014


Tende piedade, Senhor, das santas mulheres
Dos meninos velhos, dos homens humilhados — sede enfim
Piedoso com todos, que tudo merece piedade
E se piedade vos sobrar, Senhor, tende piedade de mim!



Vinicius de Moraes

às vezes queria que a água lavasse
a culpa do rosto levasse de dentro
estilhaços (pensamentos) impurezas



João Luís Barreto Guimarães

quinta-feira, 26 de junho de 2014


Fica comigo. 
Daqui a nada é noite e as noites custam, a mim custam, sobretudo quando os candeeiros da rua se acendem e as árvores e os prédios fronteiros logo diferentes, quase ninguém na rua, um miúdo com um cão lá ao fundo, uma tristeza parada na tonalidade do silêncio, estes móveis e estes retratos que não me ligam nenhuma, os teus passos na escada, tu no passeio: nem vou à janela olhar, não quero olhar. 
Fica comigo só mais um bocadinho, dez minutos, meia hora, sei lá, o tempo inteiro. 
Mesmo que não fales. 
Mesmo que leias a revista do jornal. 
Mesmo que não me toques. 
Mesmo como se eu não existisse.(…)


— António Lobo Antunes

quarta-feira, 25 de junho de 2014

terça-feira, 24 de junho de 2014


"Eu sou vários. Há multidões em mim.
Na mesa de minha alma sentam-se muitos, e eu sou todos eles. 
Há um velho, uma criança, um sábio, um tolo.
Você nunca saberá com quem está sentado ou quanto tempo 
permanecerá com cada um de mim.
Mas prometo que, se nos sentarmos à mesa, nesse ritual sagrado 
eu lhe entregarei ao menos um dos tantos que sou, e correrei os 
riscos de estarmos juntos no mesmo plano.
Desde logo, evite ilusões: também tenho um lado mau, ruim, 
que tento manter preso e que quando se solta me envergonha.
Não sou santo, nem exemplo, infelizmente. 
Entre tantos, um dia me descubro, um dia serei eu mesmo, 
definitivamente.
Como já foi dito: ouse conquistar a ti mesmo."



 Nietzsche 

domingo, 15 de junho de 2014



"...nada me resta dizer. Apenas queria escrever-te. Com dedos de carvão que se desfazem em cada letra que tento despejar no papel."



Faíza Hayat

Não temo o fogo que me adverte 
com suas chamas,
mas livrai-me da brasa moribunda que
se esconde sobre as cinzas.



Rabindranath Tagore.

sábado, 14 de junho de 2014


passamos pelas coisas sem as ver,
gastos como animais envelhecidos;
se alguém chama por nós não respondemos,
se alguém nos pede amor não estremecemos:
como frutos de sombra sem sabor
vamos caindo ao chão apodrecidos.


Eugénio de Andrade

domingo, 8 de junho de 2014

Na fronteira da pele,


"Na fronteira da pele não há cães policias. Era isso mesmo. Na fronteira da pele. Onde eu acabo e tu começas. Onde eu passo de pecado em pecado. Deixo tudo e atravesso. Passo a linha e perco a calma. Na fronteira da pele não há polícia, não há controle."

Salman Rushdie

"Liga não! 
As pessoas são assim mesmo.
 Umas são o que são, outras fingem que são, algumas pensam que são, tem as que querem ser, as que não conseguem ser, as que precisam ser, as que cansaram de ser e as que vão ser. 
E tem muito mais, acredito. 
Mas a melhor de todas elas, são as que são e ainda nos fazem ser!"

Jô Soares.

sábado, 7 de junho de 2014


"O silêncio é a minha maior tentação. As palavras, esse vício ocidental, estão gastas, envelhecidas, envilecidas. Fatigam, exasperam. E mentem, separam, ferem. Também apaziguam, é certo, mas é tão raro! Por cada palavra que chega até nós, ainda quente das entranhas do ser, quanta baba nos escorre em cima a fingir de música suprema! A plenitude do silêncio só os orientais a conhecem."


Eugénio de Andrade
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VaZiOs