Todo o meu corpo está a arder quando chamo o teu nome e tu estás nua dentro dessas sílabas. 

É então que mais quero fazer amor, para confirmar que os teus braços fazem parte de uma luz antiga que despe o meu olhar.


Joaquim Pessoa
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!