Sobre o teu corpo caio 
daquele modo que o verão tem de espalhar os
cabelos
na água esparsa dos dias 
e faz das peónias uma chuva de oiro
ou a mais incestuosa das carícias. 




Eugénio de Andrade

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!