eram teus olhos
despudorados
subindo pelas minhas pernas

rubro toque intuído

no silêncio úmido
de nossas bocas...


Andrea Augusto
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!