Quantos homens serão necessários para me esquecer do teu abraço? 


Pedro Chagas Freitas
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!