procuras...


Você no escuro.

Tateando as paredes de cimento.

Ralando as mãos.

Tropeçando pela casa abandonada.

(...) você com insônia,

em cima de uma cama de pregos.

(...) você procurando escadas.

Mas não há nada lá em cima.



Eduardo Baszczyn
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!