"...nada me resta dizer. Apenas queria escrever-te. Com dedos de carvão que se desfazem em cada letra que tento despejar no papel."



Faíza Hayat
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!