Esta noite sonhei oferecer-te o anel de Saturno

e quase ia morrendo com o receio de que não te coubesse no dedo.





- Jorge de Sousa Braga
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!