Toda mulher é uma viagem ao desconhecido. 
Igual poesia avessa ao verso e à trucagem,
Mulher é iniciação do dia, promessa, surpresa, 
miragem.
De nada adiantam mapas, guias, cenas ensaiadas ou pilhagens. 
Ser controverso, mulher é
Via de mão única, abismo, moagem. 
É também risco máximo, magia, caminho íngreme na paisagem. Simplificando: mulher é linguagem, palavra nova, imagem que anistia o ser, o vir a ser e outras bobagens.


Rubens Jardim
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!