Dormes na minha insônia como o aroma entre os tendões da madeira fria.






Herberto Helder
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!