“O amor maltrata-nos, atormenta-nos, tortura-nos, ao mesmo tempo que é, também, o nosso cântico, o nosso deslumbramento, a nossa apoteose.”


Annie Leclerc
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!