É um fardo aos ombros o corpo, sem ti.
Até o amarelo dos girassóis se tornou cruel.
Não invento nada, na arte de olhar a luz é cúmplice da pele



Eugénio de Andrade
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!