(...)


Na penumbra dos ombros é que tudo começa
quando subitamente só a noite nos vê

E nos abre uma porta nos aponta uma seta
para sermos de novo que deixamos de ser




David Mourão- Ferreira,
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!