As nossas bocas misturam-se com as línguas,
 o corpo inflama-se, dói quase.

 Deixa-me beijar-te por dentro.


Pedro Paixão
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!