anOItece

anOItece
taLVez sejas o mar e
eu vá deSCendo pelas peRNas
azUIs do tEU coROo, como
a bola de fogo que se inTRoduz mAIs deNTRo
nas liNHas demasIAdas do cadeRNo
ou nos recôNDitos múSCulos
do ocEAno



João Ricardo Reis
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!