Pros amores impossíveis, o tempo? Eis que nem ele, por vezes,


Ou talvez ela devesse discutir consigo mesma por que, cinco anos passados, ele ainda ficava estacionado nos seus pensamentos como um soldado numa base militar.

-Arranje outra pessoa, disse Rita.

E ela arranjou outra pessoa, em mais de uma ocasião, mas Max não foi transferido da base. A outra pessoa acabou desistindo, como era de se esperar. O soldado raso ganhava dos recrutas na queda de braço.
Não havia muito o que fazer, talvez, além de esperar que mais tempo passasse. Quem sabe cinco anos não tivessem sido suficientes.



Adriana Lisboa
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!