Declaração!

(...)
O meu sol vem de dentro do teu corpo,
a tua voz respira a minha voz.
De quem são os ídolos, as culpas, as vírgulas
dos beijos? 
Discuto esta noite
apenas o pudor de preferir-te
entre as coisas vivas.



Joaquim Pessoa,
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!