Quero, sem a pressa dos segundos
e sem a pressão dos minutos,
tocar você de todas as formas,
recriar nossos mundos…
Demarcar com a língua suas fronteiras,
para depois rompê-las…
Brincar com o impossível eterno a cada hora
e deixar o tempo para a rota circular dos relógios…



Maria Borges
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!