às vezes morre-se tanto,


desconcertante é que tão grande tristeza caiba dentro de tão pequeno peito. 
às vezes morre-se tanto, e tão cedo



Al berto.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!