Tudo o que eu vivi me trouxe até aqui e sou grata a tudo, invariavelmente. 

Curvo meu coração em reverência a todos
os mestres, espalhados pelos meus caminhos todos, vestidos de tantos jeitos, algumas vezes disfarçados de dor. 



Ana Jácomo 
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!