Seis da tarde, como era de se esperar,
Ela pega e me espera no portão

Diz que está muito louca pra beijar
E me beija com a boca de paixão.

Toda noite ela diz pr’eu não me afastar;
Meia-noite ela jura eterno amor

E me aperta pr’eu quase sufocar
E me morde com a boca de pavor.



Chico Buarque
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!