E às vezes, o silêncio estremece
como se fosse a hora de passar alguém
que só hoje não vem.



Sophia de Mello Breyner Andresen
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!