Voar pra sair de perto
De todo deserto desses abandonos
E constatando o desengano se despedaçar.


Zeca Baleiro
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!