domingo, 31 de março de 2013

Quanto mais livre mais capaz.



Pode prender-se um homem e pô-lo a pão e água. 
Pode tirar-se-lhe o pão e não se lhe dar água.
 Pode-se pô-lo a morrer, pendurado no ar, ou à dentada com cães. 
Mas é impossível tirar-lhe seja que parte for da liberdade que ele é.
Ser-se livre é possuir-se a capacidade de lutar contra o que nos oprime. 
Quanto mais perseguido, mais perigoso. 
Quanto mais livre mais capaz.
Do cadáver dum homem que morre livre pode sair acentuado mau cheiro — nunca sairá um escravo.



Mário Cesariny
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...