"Não soube nunca o que sentia. 
Quando me falavam de tal ou tal emoção e a descreviam, sempre senti que descreviam qualquer coisa da minha alma, mas, depois, pensando, duvidei sempre. 
O que me sinto ser, nunca sei se o sou realmente, ou se julgo que o sou apenas. 
Sou um personagem de dramas meus."




 Fernando Pessoa
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!