À breve, azul cantilena
dos teus olhos quando anoitecem.

E. de Andrade
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!