sou um pescador sem mar.

dentro do peito não ecoa nenhum nome.



Al Berto
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!