e pedirei à noite:



...e pedirei à noite que me empreste
um farrapo de manto incandescente
de que se veste, agora, para ter-te...


António Franco Alexandre
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!