amores requentados são como remendos,


Tenho a sensação de que os amores requentados são como remendos. 
Elas não resistem ao tempo nem ao atrito. 
O que na primeira vez era novo agora tem um gosto de repetido. 
E há detritos que vão se acumulando a cada separação. Rancores, mágoas, coisas não ditas. 
Com o tempo, esse entulho cerca a cama, se espalha pelos corredores, invade a sala e a cozinha. 
A gente tropeça nele. 
Mesmo sem querer, passamos a procurar, nos olhos e nos gestos do outro, os primeiros sinais de esgotamento, que uma hora ou outra aparecem. 
Intuímos que é difícil evitar que um rio avance pelo caminho que já foi aberto.



Ivan Martins
2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!