segunda-feira, 30 de abril de 2012


O teu cheiro em mim
Por muitos dias, 

Tantos dias
Eu amei-me a mim mesma.



Eeva Kilpi

Que somos girassóis humanos... Que somos luz!


Gosto de imaginar na minha ludicidade poética



Que somos girassóis humanos,

Lindas, fartas, ensolaradas, pétalas sutis.(...)





Ana Jácomo

a paisagem é um silêncio com forma


Federico Garcia Lorca

domingo, 29 de abril de 2012



Uma fogueira é sempre uma celebração 
Entre o ar e outra matéria.


Vem. Vamos arder nos braços um do outro. 


Depois, as cinzas hão-de espalhar-se 
Pela memória desta noite.




Joaquim Pessoa
Acolhe a verdade, acode a saudade e se alcança…


O Teatro Mágico

Do orvalho
Nunca esqueças 
O branco gosto solitário.



Matsuo Bashô


Os opostos se preservam mais.

Sabendo das diferenças,

Cuidam para não ferir o outro na briga


Fabrício Carpinejar

sábado, 28 de abril de 2012


Doces vontades, 
Doces bobagens, 
Quem não as tem


Arthur da Távola

tenho os olhos pesados de supor


Bernardo Soares

O que acontece quando temos algum segredo oculto do passado é que passamos cada minuto do futuro a construir um muro que torne o monstro difícil de ver. Convencemo-nos de que o muro é resistente e grosso e, um dia, quando acordamos e aquela coisa horrível não nos vem imediatamente à cabeça, damo-nos a liberdade de fingir que desapareceu de vez. O que apenas torna tudo mais doloroso quando alguma coisa destas acontece, e ficamos a saber que o muro de betão é na verdade tão transparente como o vidro, e duas vezes mais frágil.



Jodi Picoult


Livros são os mais silenciosos e constantes amigos;

Os mais acessíveis e sábios conselheiros;

E os mais pacientes professores.




Charles W. Elliot

sexta-feira, 27 de abril de 2012

És!



EntEndE:
És
Um
Templo!



Kha Tembe

Também não! Também não!



Só não desejo cair em sensatez. 


Manoel de Barros

Da ímpar, Anne Frank

Enquanto ainda há disto, pensei, um sol tão brilhante, um céu sem nuvens e tão azul, e enquanto me é dado ver e viver tamanha beleza, não devo estar triste. Para qualquer pessoa que se sinta só ou infeliz, ou que esteja preocupada, o melhor remédio é sair para o ar livre, ir para qualquer parte, onde possa estar sócom o céu e com a natureza. Então compreende que devemos ser felizes no meio da vida, simples e bela. Enquanto assim for, sei que há uma consolação para todas as dores e em todas as circunstâncias. Creio que a natureza alivia os sofrimentos.



Anne Frank

quinta-feira, 26 de abril de 2012


Talvez não seja inútil
colher, ao fim da tarde,
os miosótis plantados
nos teus pulsos: tão hábeis
os teus dedos manejando afagos.



Graça Pires

Não, não aprenderei nunca
a decepar flores.
Quem sabe, um dia,
eu, em mim, colha um jardim?


Mia Couto

Era uma vez,
Mas eu me lembro como se fosse agora.
Eu queria ser trapezista,
Minha paixão era o trapézio.
Me atirava do alto na certeza que alguém
Segurava-me as mãos não me deixando cair.
Era lindo, mas eu morria de medo, tinha medo de tudo quase:
Cinema, parque de diversão, de circo, ciganos, aquela gente encantada que chegava e seguia.
Era disso que eu tinha medo.
Do que não ficava para sempre.

Antônio Bivar

**O que não fica... De alguma maneira fica para sempre

E a sorte de um amor tranquilo, com gosto de fruta madura!


Que a gente tenha: Astral bonito. Prece nos lábios. Saudade mansinha. Fé no futuro. Delicadeza nos gestos. Conversa que cura. Cotidiano enfeitado. Firmeza nos passos. Sonhos que salvam.




Caio Fernando de Abreu

quarta-feira, 25 de abril de 2012


Houve uma ilha em ti que eu conquistei. 
Uma ilha num mar de solidão. 
Tinha um nome a ilha onde morei. 
Chamava-se essa ilha Coração. 

Que saudades do tempo que passei. 
Nenhum desses momentos foi em vão. 
Do teu corpo, de ti, já nada sei. 
Também não sei da ilha, não sei, não

Só sei de mim, coberto de raízes. 
Enterrei os momentos mais felizes. 
Vivo agora na sombra a recordar. 

A ilha que eu amei já não existe. 
Agora amo o céu quando estou triste 
por não saber do coração do mar. 




Miguel Sousa Tavares


Somos a carne de um fruto atordoado. Somos o dia aparatoso nas escadas, depois navios ancorados carregados de bruma...


Quando tens frio, risco-me como fósforo na tua pele ondulada. E dá-se o acidente nas gavetas.

As tuas pernas afogam-se em poços de água, eu tenho os braços engessados numa parede violenta 
porém beijamo-nos na boca lenta da madrugada.

O meu nome acordou povoado pelo teu nome.






Vasco Gato

*E voava!



No tempo em que eu ainda trepava às árvores - há muitos, muitos anos, há dezenas de anos atrás, media apenas pouco mais de um metro, calçava o número vinte e oito e era tão leve que podia voar - não, não estou a mentir, naquele tempo eu podia de fato voar - ou, pelo menos, quase, ou, melhor dizendo: naquela altura teria realmente conseguido voar, se de fato o tivesse querido fazer e se verdadeiramente tivesse tentado, pois... pois lembro-me com exatidão de que uma vez não voei por um triz, era precisamente no Outono, no meu primeiro ano de escola quando voltava das aulas para casa e soprava um vento bastante forte, eu conseguia apoiar-me nele sem cair, sem abrir os braços, e tão inclinado como um saltador de esqui, ou ainda mais inclinado... e então quando chocava contra o vento nos prados ao descer a colina da escola - porque a escola ficava numa pequena colina fora da aldeia - e conseguia elevar-me um pouco acima do chão e estendia os braços...

*E voava!



Patrick Süskind
Dizer um corpo. Onde nenhum. Mente nenhuma. Onde nenhuma. Ao menos isso. Um lugar. Onde nenhum. Para o corpo. Estar lá dentro. Mover-se lá dentro. E sair. E voltar lá para dentro. Não. Sair nenhum. Voltar nenhum. Só entrar. Ficar lá dentro. Em diante lá dentro. Parado.



Samuel Beckett


*hoje estou 'apenas corpo'... parada! sem muita emoção...

Quando voltei encontrei os meus passos
Ainda frescos sobre a úmida areia.
A fugitiva hora, reevoquei-a,
- Tão rediviva! nos meus olhos baços...


Camilo Pessanha

terça-feira, 24 de abril de 2012



Que a importância esteja no teu olhar, não naquilo que olhas.



André Gide



Tudo arde
Na extrema e lenta
Doçura da tarde.


Eugênio de Andrade

desconfio!


...desconfio que a paz seja uma casinha
clara, com portas e janelas
viradas para o jardim...


Arnalda Rabelo

Contra corrente... Contra elos de ferro...


Sou mesmo contra a corrente. Contra toda e qualquer corrente, aliás. Contra os elos de ferro que formam cadeias e servem para impedir o movimento livre. E contra a correnteza que na água tenta nos levar para onde não queremos ir. No fundo, tenho lutado contra correntes a vida toda. E remado contra a corrente, na maioria das vezes. Quando as maiorias começam a virar uma avassaladora uniformidade de pensamento, tenho um especial prazer em imaginar como aquilo poderia ser diferente.



Ana Maria Machado


*Mais um dia de provas... Logo vou visitá-los... Obrigada por caminhar comigo. 

segunda-feira, 23 de abril de 2012

No meu interior tem Deus, tem Deus, tem Deus... Eu sou um território sem fronteira, coração não tem porteira, mas quem manda aqui é Deus!



Padre Fábio de Melo

...O amor não se tem na hora que se quer,
Ele vem no olhar

Sabe ser o melhor na vida e pede bis quando faz alguém feliz
...


Marcelo Camelo

domingo, 22 de abril de 2012

Porque é urgente demais para ser depressa


Pedro Barroso 



*Queridos: passei o dia na estrada pra fazer a prova da CEF... Morta de cansada e com duas provas pra estudar: segunda e terça... Em breve passo nos blogs pra acalmar o coração, 

Não importa se os animais são incapazes ou não de pensar. O que importa é que são capazes de sofrer.


Jeremy Bentham


*Com o ímpar Kadú... Saudades eternas de Ti, meu Companheiro.

sábado, 21 de abril de 2012



que o meu céu seria beber-te 
se tu fosses água. 


e todas as flores de nomes impronunciáveis, 
plantadas algures em cidades imagiárias, 
seriam a sombra dos dias 
que me sacia a fome 


de uma existência 
onde sou carnal




Paulo Ferreira

Penso tanto nisso!


Acho que a única razão de sermos tão apegados em memórias, é que elas não mudam, mesmo que as pessoas tenham mudado.



Autor Desconhecido

Se...


...Se eu não era feliz, vivia alegre...



Machado de Assis

Comemorando junto com a Debbie!
aqui:

Mimo da Mari, 

Amei. Obrigada!


(...)

E o bater do meu coração 

Sustenta o ritmo das coisas.



Sophia de Mello Breyner Andresen

Eu acredito na eternidade das coisas que amamos... Como uma luz na alma: me guia!


Sabes, quem não acredita em Deus, acredita nestas coisas, que tem como evidentes. Acredita na eternidade das pedras e não na dos sentimentos; acredita na integridade da água, do vento, das estrelas. Eu acredito na continuidade das coisas que amamos (…)


Miguel Sousa Tavares
Não me importo de tentar ajudar as pessoas — se elas não sabem corresponder, é problema delas. Não é por isso que vou virar uma naja.




Caio Fernando Abreu

Nem tudo o que acaba aqui

Deixa de ser infinito



Edu Tedeschi/Zélia Duncan

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Dei-te:


Dei-te o meu corpo como quem estende um mapa antes da viagem.


Maria do Rosário Pedreira

dizia que o ar estava com cheiro de lembrança




Guimarães Rosa

Você tem grade nos olhos

(...)


Elas estão quase sempre abertas.

Não são suficiente estreitas para prender alguém, ou alguma coisa.

Houve um dia que você deixou alguém fugir por entre as grades*





Caio Fernando Abreu

*Que nunca mais voltou, tal como pássaro que encontra aberta, a porta da gaiola... Daí o amor crescer na liberdade!

Do amor que fica!


Quando um dia nada mais houver;
Quando finalmente não mais ecoarem pelas paredes
os gritos de crianças a brincar no recreio
e toda a humanidade for afinal pó;
Restará ainda assim o meu amor por ti
como no primeiro dia
preso ao cheiro dos teus cabelos
caído no amante que sempre pretendi
e que conferiu a essa virtude humana
de ser um caminhante errático,
o mais elevado sentimento
de quem fixado com alma ama...




Gastón Peke Cuadernos

Ainda arranho nas velhas paredes do tempo... Como se assim, pudesse tocar o passado...



Alessandra Sandi

sEr dEscontEntE É sEr homEm



Fernando Pessoa

quinta-feira, 19 de abril de 2012


Há séculos que te esperava para fugirmos


Al Berto


Eu já tomei tristeza, hoje tomo alegria



Manuel Bandeira

- Tenho a melhor casa da cidade, e tu?

- Eu tenho a melhor janela para ver o pôr-do-sol.

- Numa casa grande?

- Não.

- Num apartamento?

- Se te deitares na erva também consegues ver através da minha janela.

- Mas isso não é uma janela...

- Também não disse que era uma casa normal, pois não?





Old Letters

Pintei! Pintei de azul os meus sapatos!

 Então pintei de azul os meus sapatos por não poder de azul pintar as ruas; depois vesti meus gestos insensatos e colori as minhas mãos e as tuas.



Carlos Pena Filho
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

VaZiOs