quarta-feira, 26 de dezembro de 2012


No momento mais difícil da dor, achamos que a ferida permanecerá viva para sempre. 

E, então, numa manhã qualquer, nos surpreendemos aos constatar que já não sentimos aquele peso terrível.




David Foenkinos
Postar um comentário

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...

‘Cubra-nos com Teu Manto, oh Mãe’...  Quantas frases mal pronunciadas, sussurradas, cheias de uma pressa, de apelo e de fé elevei ...