Mergulhe, afinal:



como conhecer as coisas 
senão sendo-as?


Jorge de Lima 
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!